Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Somos basicamente um Quarteto de Guitarras Elétricas. ♦ We are basically a electric guitar quartet. ♦ Formação: ►Philipe Brito◄ ►Paula Martins◄ ►Rodrygo Gadelha◄ ►Caio Viana◄

Igual-desigual

    Igual-desigual
Eu desconfiava:
todas as histórias em quadrinho são iguais.
Todos os filmes norte-americanos são iguais.
Todos os filmes de todos os países são iguais.
Todos os best-sellers são iguais.
Todos os campeonatos nacionais e internacionais de futebol são
iguais.
Todos os partidos políticos
são iguais.
Todas as mulheres que andam na moda
são iguais.
Todas as experiências de sexo são iguais.
Todos os sonetos, gazéis, virelais, sextinas e rondós são iguais
e todos, todos
os poemas em versos livres são enfadonhamente iguais.

Todas as guerras do mundo são iguais.
Todas as fomes são iguais.
Todos os amores, iguais iguais iguais.
Iguais todos os rompimentos.
A morte é igualíssima.
Todas as criações da natureza são iguais.
Todas as ações, cruéis, piedosas ou indiferentes, são iguais.
Contudo, o homem não é igual a nenhum outro homem, bicho ou
coisa.
Não é igual a nada.
Todo ser humano é um estranho
ímpar.

Carlos Drummond de Andrade © Graña Drummond
                              Visite:
                                  
         Fonte: http://www.memoriaviva.com.br/drummond/poema057.htm 

2 comentários:

  1. Há tantos quadros na parede
    Há tantas formas de se ver o mesmo quadro
    Há tanta gente pelas ruas
    Há tantas ruas e nenhuma é igual a outra
    Ninguém = ninguém
    Me encanta que tanta gente sinta
    (se é que sente) a mesma indiferença
    Há palavras que nunca são ditas
    Há muitas vozes repetindo a mesma frase:
    Ninguém = ninguém
    Me espanta que tanta gente minta
    (descaradamente) a mesma mentira:
    -São todos iguais!
    ...E tão desiguais
    ...uns mais iguais que os outros...

    (trecho da música ninguém = ninguém dos engenheiros)

    ResponderExcluir
  2. "Não vejo nada.
    O que eu vejo, não me agrada.
    Não ouço nada.
    O que eu ouço, não diz nada
    Perdi a conta
    Das pérolas e porcos
    Que eu cruzei, pela estrada…

    Estou ligado à cabo
    A tudo que acaba
    De acontecer…

    Propaganda
    É a arma do negócio.
    No nosso peito bate
    Um alvo muito fácil.
    Mira à laser,
    Miragem de consumo,
    Latas e litros
    De paz teleguiada.
    Estou ligado à cabo
    A tudo que eles tem
    Pra oferecer…

    O céu é só uma promessa.
    Eu tenho pressa,
    Vamos nessa direção.
    Atrás de um sol
    Que nos aqueça
    Minha cabeça
    Não aguenta mais…"

    (Trecho da letra de "A Promessa" do Humberto Gessinger)

    ResponderExcluir